Osteopatia em Portugal

Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
Português (pt-PT)English (United Kingdom)
A OSTEOPATIA NOS ESTADOS UNIDOS

No início de 1900, alguns dos osteopatas americanos foram exercer osteopatia para o Canadá, e tiveram restrições na sua a prática devido à classe médica. Estes osteopatas foram registados sob a Lei de Praticantes Drugless ou seja, eles não eram autorizados a prescrever medicamentos ou a realizar cirurgias, como os praticantes da medicina tradicional. Presentemente, as osteopatas formados pelas universidades americanas recebem o direito de pleno exercício de Medicina no Canadá.

Em 1910 Flexner impede a abertura de novas escolas de Osteopatia e Abram publicou a obra “Espondiloterapy” onde diz que as disfunções viscerais não eram provocadas por lesão cerebral, mas que se desencadeavam em um terreno bem definido da Coluna Vertebral, onde existe uma hipersensibilidade vertebral, sobretudo  nas zonas para-vertebrais, onde existe uma maior correspondência reflexa.

Em 1917, a AMA – Americam Medical Association, criada em 1850, opõe-se a que os osteopatas tratassem dos feridos de guerra.
Em 1930, através de uma transição faseada, a profissão do osteopata americano adoptou um modelo de ensino designado como Medicina Osteopática, incorporando todas as práticas convencionais de diagnóstico e terapêutica da medicina, incluindo a cirurgia, a farmacologia e a obstetrícia.
Assim, todos os formandos de faculdades ou universidades de Osteopatia nos Estados Unidos são Licenciados em Medicina Osteopática e são reconhecidos internacionalmente como Doctors in Osteopathy, D.O. ou Doctors in Osteopathic Medicine.

Começaram os protestos, as recessões contra a osteopatia por parte dos médicos, mas o Presidente dos Estados Unidos, F. Roosevelt intervém e toma uma posição a favor da Osteopatia. Sabe-se que este presidente sofria de dores horríveis e graças a um osteopata melhorava imenso e como havia falta de médicos nos Estados Unidos devido a terem entrado na II Guerra Mundial, foi a oportunidade para a Osteopatia ter sido aceite pelo Governo Norte-americano ( GI Bill) .

Em 1957 houve o reconhecimento da Acreditação do Ensino da Osteopatia pelo “US Office of Education”, do Departamento de Saúde e só 10 anos depois, na guerra do Vietname, em que houve necessidade de um maior corpo médico é que os D.O. foram incluídos no recrutamento médico-militar. 
A AMA –American Medical Association, reconheceu a Osteopatia , e a partir de então, iniciou-se um desenvolvimento na carreira profissional dos osteopatas nos Estados Unidos. Em 1983, foi eleito o primeiro oficial osteopata para um alto cargo militar .

Em 1962 a medicina norte americana quis absorver a osteopatia, os osteopatas opuseram-se, modernizaram as escolas de Osteopatia sobre o modelo chamado “D´Éast  Lansing (Michigan)” melhoraram os critérios de admissão, reforçaram e melhoraram os programas de ensino e aproximaram-se muito das escolas de Medicina .

Iniciaram os grandes desenvolvimentos, abriram hospitais e residências osteopáticas, começaram a aparecer as especialidades com exames de avaliação e em 1990 já havia diversas especialidades na profissão osteopática, com programas de formação e respectivo comité de certificação, incluindo a medicina osteopática, e que muitos hoje denominam por Medicina Neuromusculo-esquelética .
Com o desenvolvimento da Osteopatia e a integração na Medicina, apareceram diversas universidades com cursos de Osteopatia, que são cursos de Medicina com umas disciplinas de Osteopatia.
Em 1993,Barbara Ross-Lee, DO foi eleita reitora da Ohio University College of Osteopathic Medicine, sendo a primeira mulher Afro-Americana a ser reitora de uma escola de medicina nos Estados Unidos.

Na actualidade a maioria das osteopatas são especialistas em diversas áreas da medicina incluindo a Cirurgia, existindo 28 universidades americanas que ensinam Osteopatia e Medicina, e que dão títulos de D.O e outros de M.D.

Nos Estados Unidos actualmente exercem 35.000 Osteopatas, sobretudo em pequenas povoações, exercendo clínica geral, Apenas 10% dos Osteopatas nos Estados Unidos praticam de modo quase exclusivo as manipulações osteopáticas
O resto do mundo, incluindo Europa, Ásia, Canadá e os países do hemisfério sul, não adoptaram o modelo médico de Osteopatia. Ao invés do seu currículo é concentrado principalmente na aplicação manual de filosofia osteopática e princípios tradicionais.
É notável que o Dr. Still tenha implementado gradualmente as suas técnicas, quando os produtos farmacêuticos estavam a ser introduzidos. Como estes se tornaram mais avançados e práticos, o uso de medicações foi introduzida no currículo da Medicina Osteopática. Como resultado, a Osteopatia nos Estados Unidos evoluiu para a prática da medicina e cirurgia deixando para trás a osteopatia tradicional baseada na palpação manual e métodos terapêuticos específicos.
Hoje, a Osteopatia é conhecida e praticada em todo o mundo com muitos bons resultados, porque é uma aproximação naturalista e holística à saúde e à doença, sem o recurso a medicamentos. Baseia-se no pressuposto que o Ser Humano é um TODO dentro do seu “habitat”, o corpo funciona como uma unidade total e possue mecanismos de auto cura e auto regulação.

Still dizia que há um relacionamento recíproco entre estrutura e a função;  uma alteração na estrutura .no sistema osteomuscular -, resultaria numa mudança da  função  (órgãos internos e por sua vez, na doença). Do mesmo modo, um órgão interno doente poderá resultar numa alteração no sistema osteomuscular. Isto é bem conhecido em clínica.

O Osteopata pelo seu conhecimento profundo de Anatomofisiologia, deve reconhecer, mesmo nas situações mais subtis, as alterações do funcionamento do normal do corpo humano. Pela aplicação das manipulações adequadas (manobras manuais) nas estruturas que corrigem essas alterações, restaura-se a estrutura e a função, de modo a que o corpo fique completamente normal, fisiológico. O corpo humano tem a faculdade de reencontrar o seu equilíbrio – físico, bioquímico e mental – devido a tensões ou problemas mecânicos. Esta faculdade de o organismo poder reequilibrar o processo de auto regulação chama-se homeostasia. O Osteopata apenas vai desencadear e facilitar esse processo. 

Presentemente em Kirksville,  cidade considerada como o berço da Osteopatia, com a Faculdade de Medicina Osteopática fundada em 1892 fundada pelo Dr.Still, originalmente chamado Escola Americana de Osteopatia e hoje  a A.T.Still University nesta cidade de Kirksville, sendo uma das  mais prestigiada Universidade de Osteopatia em todo o mundo, e é  a maior referência e o maior reconhecimento no mundo osteopático!
Esta cidade no Estado do Missouri dos Estados Unidos,  preserva muito o seu passado, e ao mesmo tempo está plenamente adaptada aos tempos actuais, oferecendo uma mistura ideal de tradição e conveniências modernas.
Foi nesta cidade que o Dr.Andrew Taylor Still fundou a primeira escola de osteopatia 1874 e que ainda hoje se preserva não só a primeira escola como também a casa de onde Still viveu, ambas no Museu de Osteopatia da ATSU.

escola1

A 1ª Escola Americana de Osteopatia em Kirksville, Missouri.

escola2

a segunda escola de osteopatia  Kirksville em substituição da  primeira escola

escola3

Um terceiro edifício, com mais salas de aula e áreas cirúrgicas, foi construída em 1906.

Hoje a Kirksville Faculdade de Medicina Osteopática – KCOM ),  como modelo original continuou a formar Médicos Osteopatas com nível   superior e tem como  missão formar médicos osteopatas e afins, como profissionais de saúde,  preservar e promover os princípios osteopáticos, filosofia e prática editada por Still.

escola4

O campus KCOM tem crescido ao longo de sua história, mais de 100 anos, para   acomodar a crescente  educação e investigação  em Osteopatia . Possui um laboratório de simulação humana do   paciente, salas de estudo para encontros de pacientes padronizados, salas de aula e laboratórios. Inclui o Hospital  Gutensohn, o Museu Nacional Osteopathic, a AT  Memorial Library, o Nordeste Missouri Área de Saúde, o Centro de Educação, e o A.T.Still Research Institute construído em 2007 Este Centro de investigação com seis pacientes simuladores humano com um laboratório de simulação de state-of-the-art, biblioteca ampliada e espaços para laboratórios de investigação e de estudo, salas de aula e salas de estudo. Tudo isto é único no mundo da Osteopatia!