Osteopatia em Portugal

Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
Português (pt-PT)English (United Kingdom)

As técnicas manuais são provavelmente as mais antigas utilizadas pelo ser humano e foram desenvolvidas intuitivamente ao longo da história da humanidade, sendo a primeira revelação da sua existência no tempo dos Faraós, em 5000 a.C., conforme os primeiros documentos que chegaram ao Egipto. São disso exemplos alguns exemplares de Papiros e pinturas de manipulação da cabeça radial.
Em referência meramente sumária à minha investigação em livros históricos, passo a citar alguns episódios que atestam a existência de técnicas manuais.

No apogeu da cultura grega, durante o chamado ciclo de Péricles, Hipócrates (460-377 a.C.), este autor, descreveu detalhadamente, no seu tratado das articulações, as manobras de redução articular, sejam com ajuda de um instrumento de tracção ou com técnicas puramente manuais 1

Hipócrates (460-385 a.C.), que é muitas vezes referido como o pai da medicina, foi o primeiro médico a descrever técnicas de manipulação à coluna vertebral, usando a gravidade para o tratamento da escoliose. Neste caso, o paciente era amarrado a uma escada e invertido2. A segunda técnica que ele descreveu envolveu o uso de uma tábua com várias tiras, rodas e eixos de tracção. Hipócrates dizia que estes tratamentos deviam ser seguidos de exercícios.
Outros notáveis como Galeno, Celisies e Oribásio referem-se ao uso de procedimentos manipulativos.

Para além dos exemplos citados anteriormente, as manipulações à coluna vertebral são e foram amplamente praticadas, desde pelo menos quatro séculos antes da época Cristã, por muitas culturas e muitas vezes em comunidades bem remotas entre si, como: “ pelos balineses na Indonésia, os Lomi Lomi-do Havai, no Japão, China e Índia, pelos xamãs na Ásia Central, pelos curandeiros do México, do Nepal, bem como pelos endireitas da Rússia e Noruega”.3
No século XIX, observou-se um renascimento do interesse por esse campo. No  início desse  século, o Doutor Edward Harrison, graduado em 1784 pela Edinburgh University, desenvolveu respeitável reputação em Londres utilizando procedimentos da Medicina Manual. Como muitos outros proponentes da Medicina Manual no século XIX, ele acabou por alienar-se de seus colegas ao persistir no uso de tais procedimentos.  Foi um período de grande popularidade para os “endireitadores de ossos” (bonesetters), tanto na Inglaterra quanto nos Estados Unidos. Também foi um período de tumulto e controvérsia na prática médica. A história médica da época está repleta de sistemas não-ortodoxos de cura.
James Cyriacs  no seu livro “Orthopaedic Medicine”, inclui uma figura de um templo budista, com mais de 2000 anos, com uma estátua mostrando uma manipulação à coluna lombar.4
Galeno, 131-201 d.C., refere que em Roma, já existiam menções de cura a uma neuralgia cervicobraquial com manipulações à cervical5.
Avicenna, também conhecido como o médico dos médicos e filósofo Persa, que viveu de 980-1037 d.C.6 Inclui descrições de "técnicas de Hipócrates no seu texto de medicina " The Book of Healing”. A tradução latina deste livro foi publicada na Europa, influenciando estudiosos, como Leonardo Da Vinci e contribuindo grandemente para o surgimento da medicina ocidental no final da Idade Média.

O Dr. Miguel León Portilla, século XV, escreveu sobre manipulações realizadas pelos Astecas7.
Luís de Mercado, em Espanha, em 1572 foi o primeiro universitário a utilizar e ensinar as manipulações, utilizando as manobras Hipocráticas de redução por pressão directa com tracção8.
Em 1656, Friar Thomas, no seu livro “The Complete Bone Setter”, descreveu as técnicas manipulativas para os membros e em 1674 (com a versão em Latim em 1693)9Johannes Scultetus incluía o método manipulativo de Hipócrates “The Surgeon’s Storehouse”10
O navegante Cook, em 1768, sobre a Polinésia dizia “ fui tratado de dores nas costas pelos indígenas”.11
Na Europa apareceram pessoas a tratar com manipulações e eram conhecidos como bone-setters em Inglaterra, "knochenbrechers" na Alemanha, "les rebouteux" em França e na Escandinávia como "kotnackare”.12
O Dr.Harrison, no século XIX, em Inglaterra, aprendeu as manipulações com os “bone-setters”.

Um médico chamado Wharton Hood que, sob a orientação de um Bone-setter, fazia curas maravilhosas com as manipulações e concluiu que era benéfico e seguro. Em 1871, publicou um manual técnico sobre a manipulação das extremidades no Lancet 13.

Ling (1770-1830)14 e seus alunos, Henri Stapfer (1847-1912) e Brandt, (1819-1895), na Suécia, foram os primeiros a estabelecerem uma síntese de técnicas manipulativas e tentaram introduzir o método na prática médica, não surtindo efeito.

Por volta do século XIX, a classe médica começou por insurgir-se contra os bone-setters e as suas práticas e fizeram o possível para os eliminar, apesar de reconhecerem a grande popularidade destes curadores.

James Paget, um dos famosos cirurgiões e fisiologista britânico, sugeriu que os médicos deviam observar os bone-setters e aprender com eles o que era de bom. Mas Paget atribuía sorte aos sucessos dos bone-setters e frequentemente, referia-se a eles como" inimigos”15.

Dois indivíduos que iriam influenciar profundamente o campo da Medicina Manual, com técnicas de Manipulação Articular, surgiram nesse período de agitação médica. Andrew Taylor Still(1828-1917), M.D., o “Pai da Osteopatia”, foi um médico treinado dentro dos moldes de treinamento por preceptores em vigor naquela época e D.D. Palmer(1845-1913), o “Pai da Quiropraxia”,  foi um dono de mercearia que se tornou médico de manipulação autodidata.(GREENMAN, Philip E. Princípios da Medicina Manual. 2 ed. São Paulo: Editora Manole, 2001)
Ainda hoje, a comunidade médica, na generalidade, não aprecia os benefícios das manipulações articulares.
Têm sido bem conhecidos os bons resultados nas curas pelas manipulações, razão da sua grande propagação tanto nos Estados Unidos como na Europa e Ásia.

1     Quelle Medicine ? Les médecines dans le Monde - La Medicine Manipulative, Lapertosa Gerard, Edt. Etiosciences –Genéve  1987

2     Withington ET. Hipócrates. Com uma Tradução Inglês. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1928.

3     Connor L, P Asch, Asch T. Tapakan Jero: Curandeiro balinesa. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1986.

4     Cyriax J: Textbook of Orthopaedic Medicine, vol 1, ed 6. London, Bailliere Tindall, 1976.

5     Quelle Medicine ? Les médecines dans le Monde - La Medicine Manipulative, Lapertosa Gerard, Edt. Etiosciences –Genéve  1987

6       Idem, idem

7      Idem, idem

8     Sournia,  Jean-Charles, História da Medicina,Edt Instituto PAGET, 1995

9     Schiotz EH, Cyriax J. Manipulation: Past and Present. London, UK: William Heinemann Medical Books; 1974.

10   The Journal of Manual & Manipulation Therapy, 2007, Pg.166

11   Hough, Richard. Captain James Cook. Hodder and Stoughton,1994

12   Schiotz EH, Cyriaux JH: Manipulation Past & Present. London, Heineman,, 1975.

13    WH Hood “On the so-called bone setting,

its nature and results” Lancet. 1871;6:304-310. 7:334-339, 372-374, 441-443

14      Idem, idem

15    J. Casos de Paget que bonesetters cura. BMJ. 1867;uma:1-4.